11º Dia: Não há mais espaço para finais felizes

Deixe um comentário

23 de novembro de 2014 por bossolon

Campinas. 23/11/2014

Caro diário. Hoje… bem… hoje foi o dia do casamento. Tudo estava pronto e certo. O dia estava bonito. Fizemos de acordo com o combinado previamente. Nós homens iriamos de manhã ao local. Limpariamos qualquer zumbi nas proximidades e esperaríamos por todo mundo. As mulheres ficariam na escola de cadetes e só iriam mais tarde com a noiva.

Não tinha muitos zumbis quando chegamos. Então não foi tão demorado limpar em volta. Deixamos o caminhão do exército próximo à igreja. Eu, André, Victo, Mateus e Gabriel, juntamente com o pastor iriamos esperar la dentro. Robson e um pessoal do exército estavam encarregado da guarda. Ele nem olhou pra nossa cara.

Tudo estava bem. Só precisávamos esperar a hora dos convidados e da noiva chegar. Casariamos e logo sairíamos dali. Seria algo simples. Mas tudo aconteceu muito rápido.

Ouvimos um dos exército gritar sobre zumbis. Eu, Mateus e Victor saímos pra ajudar. Adnré deveria ficar ali dentro. Quando olhamos por cima do carro, contudo, vimos a grravidade do problema. Havia uma horda enorme subindo a avenida. Algusn corredores também. Estavam vindo diretamente pra nós. Deviam ter virado de uma das ruas próximas ao balão e, por isso não conseguiram ver a tempo.

Não daria pra lutar contra todos eles! Eles estavam muito próximos. A melhor opção era sair dali. Gritamos para todos dentro da igreja que tinhamos que ir e corremos para o caminhão do exército. O exército estava dando cobertura pra fugirmos. Mas até alguns deles estavam sendo devorados. Eu cheguei antes ao caminhão, o qual tinha um membro doaa exército no volante, esperando para que o maior numero de pessoas cheguem. Mateus e Victor chegaram logo depois.

O pastor vinha correndo seguido de Gabriel e André. Robson estava mais atrás. Gritávamos para eles se apressarem. O caminhão estava duas ruas para cima da igreja. Todos pareciam correr desesperadamente. Assim que eles chegassem ao caminhão sairiamos.

Mas, então um outro grupo de zumbis saiu de uma das ruas atacando-os. André os viu primeiro e atirou. Isso atraiu a atneção dos outros pra ele. Eles o atacaram e o derrubaramna mesma hora. Na mesma hora Robson passou por ele e continuou correndo.

Eu desci do caminhão pra ajudar. Corri em direção a André atirando em todos os zumbis próximo a ele. Gastei o que restava do meu cartucho de balas no revolver e tive que trocar. Atrás de mim eu ouvia Victorrr falando pro irmão continuar. Chegamos juntos até André, que já estava bem ferido. O pastor e Mateus chegaram logo depois. Mateus e o Pastor carregaram André até o caminhão enquanto eu e Victor cuidavamos de manter os zumbis afastados. O caminhão saiu assim que subimos.

Foi difícil. André estava caido no chão do caminhão. Victor discutia com Robson por ele não ter ajudado. Mas aquilo não importava mais. Só de olhar pra André sabiamos que não teria como salvá-lo. Por mais que eu pressionasse o sangramento. Nem lembro de quantos palavrões eu falei no caminho.

Chegamos em pouco tempo à escola de cadetes. Abalados. Todos ali, olhavam curiosos para o caminhão sem entenderem o porque voltamos. Então O sargento foi o primeiro que percebbeu o que houve e gritou logo por uma maca. Mas nem esperamos a maca chegar. Eu, Victor, Mateus e o pastor desciamos André, cada um segurando em um membro quando Camila saiu de dentro da escola de cadetes com seu vestido de noiva. Deixamo-o no chão quando ela correm em direção a ele chorando.

O sargento se aproximou também e alguns médicos do exército. Eles não olharam muito. Não tinha o que olhar. Haviam muitas mordidas profundas. Em partes vitais. Segundo os médicos ele só duraria por algumas horas.

_ O que houve lá? _ perguntou o sargento.

_ uma horda. Tinha… sei la.. uns 300 zumbis. Apareceram do nada. Nãoi sei de onde vieram. Viraram a esquina e nos atacaram.

_ Mas que merda…

O sargento saiu as pressas dando ordens a seus homens pra fortificarem a defesa. Era provável que os zumbis iriam até la. Sempre faziamos muito barulho.

_ De um tempo aos dois, filho _ Disse com mansidão o pastor Felipe tocando em meu ombro enquanto eu olhava pra Camila e André ali no chão.

Passei a tarde toda na porta da escola de cadetes olhando pra Camila debruçada sobre o corpo de André. A horda de zumbis já estavam chegando nos muros da escola. Por vezes algumas pessoas ficavam ao meu lado em silêncio. Victor, Fabricia, Mateus, o sargento, o pastor. Mas eu permanecia ali. Ele era meu melhor amigo. Nos conheciamso desde os 7 anos. Crescemos juntos. Resolvemos ir para a mesma cidade na faculdade. Uma que nós três tivessemos passado. Ele passou na USP, mas veio para estudar na puc comigo.

_ Ele já deve ter morrido a algum tempo, filho _ Ouvi a voz do sargento atrá de mim. _ Não podemos deixá-lo voltar. É pior. Eu vou la fazer o que for preciso.

_ Deixa que eu faço.

Fabricia e Olga que estavam perto foram comigo tirar Camila de lá e consolá-la. Ela estava om a maquiagem toda borrada. Devia ter chorado a tarde toda. Eu assisti às três se distanciarem. Camila se virou distante. Acho que queria ver.

Perto de mim o corpo de André já começava a se mexer lentamente. Apenas apontei o cano da arma em direção a cabeça e olhei seis olhos amarelados se abrindo. Antes de puxar o gatilho só uma coisa vinha em minha cabeça: Nesse mundo, não há mais espaço para finais felizes

Fim do dia 11

Grupo:

  • Camila (21)

  • Mateus (20)

  • Fabricia (32)

  • Miguel (7)

  • Olga(56)

  • Suzi (20)

  • Victor (21)

  • Gabriel (24)

  • Pr. Felipe (40)

Inventário:

result

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: