37º Dia: Pesadelos

Deixe um comentário

20 de dezembro de 2014 por bossolon

Campinas. Dia 20/12/2014

Caro diário. Apesar de cansado, dormi bem mal essa noite. Acordei várias vezes por causa de pesadelos. Na minha cabeça vive passando as imagens da batalha de dois dias atrás. E, por vezes, eu vejo eu mesmo matando Sheila.

Por volta das 5:30 desisti de tentar dormir e saí do quarto pra ver se encontrava alguma coisa. Estava tudo bem calmo, tirando uma tosse de um quarto distante ou uma enfermeira passando apresadamente no corredor. No corredor em frente ao meu quarto, na porta acorrentada da qual havia centenas de mesas e macas deitadas para para reforça-la, ouvia-se sons de um ou outro zumbi solitário. Eles costumam se aproximar das portas as vezes, mas, não conseguindo abri-las desistem e voltam.

_ Também está com insônia? _ Prguntou uma doce e fraca voz quando passei pelo quarto 104 (ao lado do meu).

Quando me virei deparei com Lucia deitada em sua cama, próxima à porta. A garota estava coberta com um lençol e descansava os braços sobre o corpo, olhava para mim com seus olhos cansados, mas um sorriso solene.

_ Pesadelos _ Respondi entrando e me aproximando da cama dela.

_ Eu sei como é… as vezes sonho com eles.

_ Não é exatamente por causa dos zumbis… sabe… eu já to bem acostumado a isso… é que…. _ Dei uma pausa pensando se deveria ou não ocntar para uma garota tão jovem e fraca o que aconteceu. Por fim decidi falar _ Eu… matei uma pessoa dois dias atrás…

_ Ela era uma pessoa ruim? _ Perguntou Lucia franzindo a testa

_ Eu não sei… _ Eu disse_ Bem… ela estava do lado inimigo… e ia atacar uma amiga…

_ Eram aqueles bandidos? _ Perguntou e logo depois de ver minha expressão de surpresa completou _ Eu ouvi Victor conversando com Bia um dia desses.

_ Você ouve bastante coisas… _ eu disse

_ Eu poderia ser uma espiã _ Disse a garota sorrindo.

_ E você? _ Perguntei mudando de assunto _ Não consegue dormir também?

_ As vezes sim, as vezes não… Mas acostumei a acordar cedo. Tinha que acordar bem cedo, muitas vezes pra fazer exames e quimio.

Eu pensei em perguntar o que ela tem, mas fiquei com medo de tocar em um assunto delicado, então apenas me calei.

_ Você fez a coisa certa _ Disse Lucia após um periodo em silencio

_ O que?

_ Sua amiga ia morrer…. se não fizesse nada, teria a morte da sua amiga nas mãos, não é? Isso seria pior, eu acho… Então você deve ter feito a coisa certa.

_ Acorado a essa hora? _ Perguntou Beatriz que entrava pela porta e seguia em direção à Lucia

_ Ele tem tido pesadelos _ Respondeu a garota por mim _ É até bom… porque tive alguém pra conversar enquanto você não chegava.

_ Todo mundo nesse hospital acorda cedo? _ Perguntei intrigado

_ Passei no vestibular pra isso… _Disse Beatriz entre suspiros enquanto colocava uma bolsa de soro no pedestal perto da cama de Lucia _ Mas tenho minhas reconpensas… lu é uma delas…

Achei que deveria deixar Beatriz trabalhar e resolvi ir pra cozinha tomar café. Ao chegar na cozinha vi que Raquel já estava acordada. Ela me serviu um pão com margarina e leite com chocolate para o café. Nessa hora eu dei graças a Deus por Derek ter trazido alguns suprimentos.

_ Então…. como está? _Perguntei assim que ela me trouxe o café

_ Tentando seguir em frente…. _ Disse a moça sentando-se à minha frente e olhando para as próprias queimaduras nos braços _ Eu perdi tudo, sabe… a casa do meu pai… meu irmão…

Raquel parecia um pouco apática por tudo isso, então achei que seria melhor passar um tempo conversando com ela. Aparentemente nós dois temos tido pesadelos. Conversamos até perto das 6:30, quando Derek, Tonny e Pink se juntaram a nós…

_Então.. vocês vão mesmo la no shopping hoje? _ Perguntei enquanto se sentavam.

_ Eu ainda acho loucura _ Disse Raquel indo preparar o café da manhã para os outros. As outras mulheres que cuidam da cozinha começavam a chegar também.

_ Vocês viram que temos poucos suprimentos e pouca água… nesses lugares tem de tudo… _ Disse Derek

_ Eu acho que tive uma ideia _ Disse Mateus que entrava no refeitório. _ Na verdade… várias ideias… que eu estive pensando ontem a noite!

Assim que tomamos o café fomos até a sala de Catarina, apresentar as ideias de Mateus. Que eram muito boas, inclusive. Para solucionar os problemas da água, Mateus sugeriu construir cisternas no hospital. A água da chuva cairia pela calha em barris Assim, guardaríamos água para usar. Ainda sugeriu que fervessemos a água e filtrássemos pra purificá-la.

Quanto aos shoppings e supermercados, Mateus sugeriu atrair os zumbis para fora e fortificar as entrads. Assim, manteriamos sempre os zumbis fora desses lugares e sempre que precisassemos de mais suprimentos, seria seguro entrar e pegar.

Por fim, Mateus sugeriu que coloquemos alguma coisa que faça barulho do outro lado do hospital, para atrair os zumbis dentro do hospital para lá. Diminuindo a chances de zumbis entrarem nas alas seguras. Essa seria a mais arriscada.

_ Podemos colocar pelo lado de fora mesmo… por uma janela _ disse

_ Mas isso poderia atrair zumbis fora do hospital…. _ Observou derek

_ Eu acho melhor entrarmos por outra entrada e irmos matando todos…. _ Sugeriu Tonny

Como não chegávamos a um acordo quanto a isso, resolvemos nos preocupar com as cisternas primeiro, pois ainda tinhamos suprimentos de ontem. Assim, Osvaldo ficou encarregado de construir as calhas, junto com Mateus, Antonio e felipe. Eu, Derek, Pink, Camila, Tonny e Victor sairiamos atrás dos barris de água. O problema é onde encontrar. Há uma loja de construções descendo a Av Jon Boyd. Era nossa aposta. Tonny e Derek foram no caminhão enquanto nós fomos no carro. Fizemos isso para não ocuparmos espaço no caminhão e caber o maior numero de coisas nele.

Diferente dos outros lugares, esse não parecia tão cheio de zumbis. Talvez porque os portões estivessem fechados, apesar que havia uma parte da grade caida. Mas imagino que, durante um apocalipse zumbi, poucas pessoas pensaram em saquear uma loja de materiais para construção.

Abrimos o portão quebrando o cadeado e entramos com o caminhão. Asism que descemos nos preocupamos em cuidar dos zumbis pelo estacionamento. Depois seguimos em direção ao interior da loja. Uma vantagem de entrar em uma loja de materiais para construção é que tem bastante coisas para usar como arma. Pegamos martelos, marretas e começamos a esmagar a cabeça de todos os zumbis que víamos.

_ Ei garoto! Ta cansadinho? _ Disse Derek ao me ver ofegante

_ Eu dormi mal. Não enche _ Respondi.

_ Qualquer um dorme mal numa cama horrivel daquelas

_ Cala a boca. Não é por isso! Eu só… _ heistei em dizer a ele _ Tenho tido pesadelos… por causa do que aconteceu na fazenda

Derek parou por um instante me encarando…

_ Isso é normal _ Disse Tonny atrás de mim _ Foi a primeira vez que matou alguém, não é? _ Acenei com a cabeça _ Isso passa….

_ Ei _Disse Derek se aproximando _você não teve escolha! Eram eles ou nós! E isso tá no passado. Agora vamos terminar o que viemos fazer… tem pessoas precisando de nós.

Colocamos no caminhão 10 barris de plático para o reservatório bem amarrados com uma corda. Também aproveitamso para colocar algumas marretas, cerras e canos para as calhas. Martelos, pregos, parafusos… tudo que conseguimos pensar e colocar. Depois voltamos para o hospital.

Ja era perto do meio dia e parecia que ia chover. Assim que chegamso descarregamos os barris e as principais ferramentas que iriam precisar. Mateus e Osvaldo já tinha cortado o cano da calha e, assim que chegamos começaram a instalação. A medida que instalava uma extensão da calha já colocávamos os barris em baixo.

Durante a tarde choveue já tinhamos três barris posicionados. Logo depois do sol sair, todos resolveram ajudar, até mesmo Derek e Tonny.

_ Eu ouvi o que você disse na loja _ Disse Camila enquanto trabalhávamos _ Se não fosse por você, eu estaria morta.

_ Eu sei… mas… Sei la… aquele cara não era um zumbi.. era… um ser humano…

_ Eu sei.. eu também me sinto mal por tudo que aconteceu la… Mas você salvou minha vida… E agora estamos aqui salvando a vida dessas pessoas.

Apesar de tantas pessoas me confortanto, ainda não conseguia me acostumar com a sensação de ter matado outra pessoa. Mas tentei esquecer aquilo o máximo possível. Não chegou a chover mais durante a tarde. Mas contamos que chova amanhã.

_ Ela gosta de você _ Ouvi a voz de Lucia vindo do quarto dela quando eu seguia para meu quarto. Ao me aproximar vi que estava conversando com Victor, que cuidava de seu irmão

_ É eu não sou do tipo namorador _ Respondia Victor sem jeito

_ Olha só, Dario! _ Disse Lucia ao me ver e Victor se virou para me olhar e depois voltou-se para sue irmão.

_ O que está havendo aqui? _ Perguntei curioso.

_ Eu acho que Bia tá super a fim do Victor. Mas o cabeça dura aí diz que não. O que você acha?

_ Bom.. .ela realmente parece bem próxima de você, Victor_ Respondi

_ Viu! Eu falei!

_ Eu também acho! _ Disse jim que entrava no quarto junto com Pink, Camila e Fabrícia

_ Vieram todo mundo só pra me zoar agora? _ Disse Victor com a cara fechada.

_ A gente veio pra trocar ideia… mas dava pra ouvir a conversa, então… _ Disse Pink

_ Ei! Isso ai é um violão? _ Perguntou Lucia, ao ver Pink entrando com um violão

_ É… Antonio saiu hoje a tarde pra pegar alguns recursos e eu pedi pra me trazerem isso. _ Respondeu Pink

_ Ísso é ótimo! Eu adoro cantar!

_ Ah é? Que musica sabe cantar?

_ Sabe tocar Eduardo e Mônia?

Pink se pos a tocar a musica que Lucia pediu e a garota acompanhava cantando. Sua voz era doce e bela, mas acabou combinando perfeitamente com a música, apesar da voz de Renato Russo ser bem grossa. Ficar ali ouvindo Lucia cantar enquanto Pink tocava e, por vezes, vazia a segunda voz foi confortante. Até Gabrieu entrou no clima.

Não voltou a chover até agora. Esperamos que chova mais durante a semana. Amanhã iremos procurar lojas de água, para pegar galões e trazer. Sinto falta de banhos… Com não podemos desperdiçar água isso tem sido dificil. O hospital já tem um cheiro horrivel por causa dos doentes, vomitos, fezes, e zumbis nas portas… ficar sem banho torna tudo pior. Por isso, nem liguei de trabalhar de baixo de chuva hoje….

Esperamos que amanhã chova.. e eu não tenha pesadelos…

Fim do dia 37

Grupo

A Lei

Hospital

Pr. Felipe (40)

Derek (28)

Catarina (29)

Antonio (61)

Tonny (26)

Osvaldo (51)

Mateus (20)

Pink (19)

Beatriz (21)

Camila (21)

Jim (23)

Victor (21)

Alan (35)

Raquel (24)

Gabriel (24)

Fabricia (32)

Lucia (17)

Miguel (7)


Mais um dia que se passa. Eu disse que nesse novo arco seria mais voltado à relacionamentos.

Tentarei trabalhar melhor nos personagens. Então, se tem algum personagem que você quer ver se desenvolver, poste nos comentários

E fique ligados na página no facebook!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: