39º Dia: Eu gosto de flores!

Deixe um comentário

22 de dezembro de 2014 por bossolon

Campinas. Dia 22/12/2014

Caro diário. Mais um dia, mais uma noite mal dormida. Não cheguei a ter pesadelos hoje, pelo menos não que eu me lembre, mas acabei levantando cedo do mesmo jeito. Não tão cedo quanto nos outros dias. Levantei por volta das 6:00. Beatriz já estava no quarto 104, então apenas desejei bom dia a todos naquele quarto e segui para o refeitório.

Raquel era a única ali. Sentei-me para tomar café como de costume e nos pusemos a conversar, sobre nossos pesadelos, nossas perdas ou quaisquer outras coisas. Pink, Jim e Camila se juntaram a nós posteriormente. A comida e o cheiro do hospital ainda estão ruins, mas está mais divertido comer…. pelo menos você se acostuma a essas coisas. Raquel disse que não da pra fazer comida com muito capricho porque alguns doentes não podem ingerir certos alimentos. Mas ela passaria a fazer algo separado para quem não está doente.

Mesmo assim, Derek achava melhor aproveitar a manhã para ir até o atacado pegar mantimentos antes do almoço. Pouco depois do café da manhã, conversamos com Catarina e Osvaldo que permitiram que parte de nós fôssemos até o atacado. O resto deveria ficar para ajudar na construção do muro e dos afazeres do hospital. Assim nos dividimos. Eu, Derek, Tonny, Pink, Camila e Jim (que jura estar melhor do ombro) fomos até o atacado. Mateus, Antonio e os outros ficariam no hospital ajudando.

Era umas 9:00 quando chegamos ao atacado. O lugar estava com os portões caídos e cheio de carros capotados ou batidos. Por sorte há alguns poucos carros com um estado razoável. Jim pegou um deles e saiu atropelando os zumbis, para economizarmos munição. Enquanto isso, estacionávamos o caminhão perto da rampa de acesso ao atacado. O atacado em si era na parte superior e a parte inferior era apenas estacionamento. Dedicamos um tempo matando os zumbis no estacionamento com as marretas que pegamos outro dia ou armas brancas.

Depois de termos cuidado dos zumbis na parte de baixo subimos a rampa de acesso com cuidado. Haviam bastante zumbis no atacado. Pelo visto muitas pessoas vieram saquear, ou os zumbis os seguiram para ca.

_Ah droga. _ disse Tonny enquanto espiava _Acho que vi um blooder ali

_ Se ele nos ver vai colocar todos os zumbis pra cima da gente.. _ Sussurrou Pink.

_ Mas a gente chegou até aqui! Vamos ter que carregar! _Disse Derek _ Eu não saio daqui sem carregar!

_ Ta galera… vamos precisar de uma isca pra atrair eles então… _ sugeriu Jim.

Pensar em um plano seria complicado naquela situação. Quem seria isca para um blooder? Seria arriscado demais. Nós então pensamos em fazer barulho pra atrair os zumbis pra baixo, mas isso poderia atrair outros em volta.

_ Temos que cuidar deles todos _ Disse Tonny

_ Ta maluco! _ Falou Camila _ Nem ferrando que a gente mata um blooder e todos esses zumbis sozinhos! Deve ter corredores la dentro também!

Enquanto discutiamos Derek colocou em prática seu plano de maluco. Colocou um alarme de um carro pra tocar enquanto colocava um pano na entrada do combustível e ateava fogo.

_ Se escondam _ Disse enquanto olhavamos arregalados para o policial.

No mesmo instante nos escondemos como pudemos enquanto dezenas de zumbis desciam a rampa em direção ao carro. Poucos minutos depois o carro explodia matando a maior parte deles. Derek saiu atirando nos zumbis restantes. Em pouco tempo uma batalha começou.

Deixamos de lado as armas brancas para atirar pra valer. Derek tentou matar o blooder assim que o viu, mas errava os tiros, ou porque outros zumbis entravam na frente ou porque o blooder se escondia. Foi Pink, com um tiro certeiro quem conseguiu atingir o cérebro do bicho.

Como esperado, os sons atraíram mais zumbis. Subimos pela rampa matando todos os zumbis que ainda não tinham descido. Derek tomou a liberdade de empurrar carrinhos pela rampa formando uma barreira contra os zumbis que queriam subir. Corremos para o fundo da loja e aguardamos.

_ Ficou maluco _ Disse Pink _ Quer matar todos nós!

_ Deu certo, não deu? Matamos a maioria!

_ É mas estamos cercados! _ respondi

_ É só questão de tempo! Logo esses ai vão desistir…

_ Ou vão entrar de vez _ Sugeriu Jim

_ É… ou vão entrar de vez _ Concordou Derek

_ Se entrarem nós matamos! Por enquanto vamos pegar suprimentos _ Disse Tonny empurrando um carrinho pelo corredor.

_ Imagina ele de avental fazendo compras _ Disse Jim e Pink começou a rir.

Não sei se foi sorte ou Derek realmente sabia o que estava fazendo, mas em pouco tempo que estávamos no fundo da loja, os zumbis desistiram de tentar passar pela barreira de carrinhos e voltaram para o carro que estava pegando fogo ainda. O carro estava bem distante do nosso caminhão. Então conseguíamos encher os carrinhos e carregar o caminhão várias vezes e só nos preocupávamos com um ou outro zumbi. Claro que tivemos que ter o trabalho de tirar todos os carrinhos que Derek usou pra fazer a barreira.

Quando enchemos o caminhão já era quase uma da tarde e já tinhamos matado vários dos zumbis que estavam perto do carro em chamas que, ao nos perceber, vinham até nós. Havia muita comida no caminhão. Refrigerantes, sucos, vinho e comida! Jim fez questão de pegar um pacote de Bom ar e desodorante

_ Ta precisando naquele hospital _ Disse E também pegava pacotes de papeis higiênicos.

Após carregarmos tudo pensamos em voltar para o almoço, mas uma coisa do outro lado da avenida nos chamou mais a atenção. Dois fast foods, Mc Donalds e Burger King. Um ao lado do outro.

_ E ai? _Perguntou Jim como se nem precisássemos discutir a ideia _ BK ou Mc?

Como a maioria preferiu Burger king é para la que fomos. Eliminamos alguns zumbis, dois deles com roupas do BK e um com roupa do Mc Donald’s, o que fez com que Jim fizesse uma piada sobre isso.

_ Até mortos os funcionários do Mc sabem que BK é melhor!

Fizemos lanches com batatas fritas para todos nós. Inventamos nossos próprios lanches. Três hambúrgueres, Cheda, bacon, cebola… Nós nos destruimos essa tarde. Comemos tanto que ficamos cansados sequer para atravessar a rua e pegar o caminhão. Ficamos uma hora e meia fazendo digestão. Tonny havia comido quase três vezes mais que eu.

Depois de feita a digestão saímos de lá e voltamos ao caminhão. Pensamos em levar um pouco de hambúrgueres, mas decidimos deixar ali. Provavelmente voltaríamos mais vezes pra pegar mantimentos. Então comeríamos de novo. Aqueles São nossos lugares secretos.

Voltamos com o caminhão e estacionamos. O muro ainda estava bem pequeno. Eles estavam erguendo deixando um bom espaço para passar com o caminhão. Osvaldo tinha planos de implantar um portão ali. Descarregamos a comida toda e levamos até a cozinha. Foi incrível… fomos recebidos como heróis pelos pacientes. Acho que eles tambem querem comida de verdade. Depois ficamos com pena porque nem todos ali poderiam comer aquela comida.

No fim da tarde choveu. Dessa vez choveu por horas. Na verdade está chovendo até agora. Acho que teremos que pegar mais tambores amanhã pra reservar água. Depois do jantar passamos a tarde toda limpando uma coisa ou outra, mas Catarina nos dispensou pouco tempo depois. Assim, como se já estivesse se tornando costume, fizemos nossa reunião no quarto 104.

Esse costume fez com que as enfermeiras reacomodassem os outros pacientes. Praticamente ficamos com os quartos 103, 104 e 105 pra nós. No 103, ficam Derek, Tonny, Antonio, Felipe, Raquel e Alan. No quarto 104 ficam Lucia, Victor, Gabriel, Pink e Jim. E no 105, ficam eu, Mateus, Camila, Fabricia e Miguel. Ainda tem lugar vago no 104 e no 105. Mas como nos reuníamos todas as noites, não quiseram mandar ninguém para os quartos, para não atrapalharmos o sono de ninguém.

_ Podiamos plantar flores pelo corredor! _ Sugeriu Lucia. _ Sabe.. em vasos

_ Porque? Só vão ficar no caminho _ Disse Victor

_ Ei! Não seja grosso! _ Falou Pink com selvageria para Victor

_ Eu gosto da ideia de ter flores _ Dizia Fabricia _ Deixa com uma aparencia mais bonita e… disfarça o cheiro.

Todos rimos. O cheiro do hospital era realmente horrivel e o aroma de flores podia ser bem melhor que o perfume que Jim tentou borrifar hoje e só piorou as coisas.

_ Eu gosto de flores! É só uma ideia _ Disse Lucia meio cabisbaixa, mas sorrindo seu sorriso solene. _ Não é como construir um muro, mas acho que melhora o ambiente.

Victor se desculpou sem jeito por esnobar a ideia da garota, mas não evitou que o travesseiro de Pink voassem na direção dele.

_ Eu gosto de Flores! _ Disse Gabriel de seu jeito desengonçado _ La em casa tinha muitas flores! Margaridas, rosas! Victor não gosta de flores! Ele nem ligava. Quando eu tava regando eu jogava agua nele.

Passamos boa parte da noite nos divertindo ouvindo Gabriel contar coisas engraçadas sobre Victor ficava na dele dando uma de reservado e durão. Victor é um cara bem reservado na verdade. O que sabemos dele, na maioria das vezes é o Gabriel quem conta.

Alias. Eu achava que Gabriel era algum “peso morto” mas descobri que ele é bem gentil, na verdade. Fala pelos cotovelos e sempre tá ajudando todo mundo. Ele tem falado ultimamente que vai virar faxineiro no hospital. Na maioria das vezes ele esta limpando tudo. E, muitas vezes, também é ele quem conforta algumas pessoas que estão em crise de desespero.

_ Até que esta sendo divertido aqui, não é? _ Eu disse me sentando na cadeira perto da cama de Fabricia quando ela ia dormir.

_ É.. melhor que naquele clima de guerra…. _ Respondeu Fabricia.

_ Por favor, não fiquem muito de namorico vocês dois, ou arrumem um quarto vazio _ Brincou Camila se virando pra dormir

_ Boba. _ eu disse

Depois de ter o clima cortado pela minha amiga de infância acabei indo para o corredor escrever no diário e deixá-los dormindo. Finalmente temos suprimentos. Água, comida e produtos de higiene. Antonio levantou a questão de termos que ir amanhã atras de mais barris de água, filtro e cloro pra purificar a água. É o que faremos pela manhã.

Fim do dia 39

103

104

105

Resto do hospital

Derek (28)

Lucia (17)

Dario

Catarina (29)

Tonny (26)

Victor (21)

Mateus (20)

Osvaldo (51)

Antonio (61)

Gabriel (24)

Camila (21)

Beatriz (21)

Pr. Felipe (40)

Pink (19)

Fabricia (32)

Raquel (24)

Jim (23)

Miguel (7)

Alan (35)


Fala galera! Esse foi mais um capítulo do Diário de Dário.

Como eu disse esses capítulos no hospital estão mais sentimentais, mas estou tentando não deixar faltar a questão de sobrevivência e zumbis. Em consequencia disso, o tamanho dos capítulos estão ficando maiores. Espero que não se importem.

Dividi o grupo pelos quartos. Eu fiz essa tabela pra me ajudar a organizar e resolvi deixar assim mesmo. Se não gostarem, comenta que eu mudo pro formato antigo.

Também quero anunciar que estou re-escrevendo os primeiros capitulos com mais detalhes e algumas coisas extras e em breve tentarei disponibilizar um e-book para vocês. Não sei se será gratuito ou cobrado, mas mesmo se for cobrado será bem barato (menos de R$5,00 eu diria). Mas provavelmente esse primeiro será gratúito.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: