46º Dia: Pink sabe se virar.

Deixe um comentário

29 de dezembro de 2014 por bossolon

Campinas. Dia 29/12/2014

Caro diário. Estou bem cansado. Dormi bem até (apesar dos pesadelos), por causa da chuva durante a madrugada. Mas o dia foi bem difícil hoje. Quase morri de novo.

Acordei um pouco mais tarde hoje então fui direto tomar café da manhã. Quando cheguei percebi que eu era o ultimo a chegar. Pink e Jim já estavam terminando seu café e Fabrícia estava se levantando.

Tomei meu café rapidamente para poder me juntar aos outros, caso aconteça algo de interessante. Não aconteceu. Muito pelo contrário. Passamos a manhã toda trabalhando nas águas. Filtrando as águas e enchendo garrafas peto para colocar no telhado.

Depois, durante a tarde, fui trabalhar com Osvaldo no muro. Bem… o trabalho foi pesado hoje. Nunca pensei que construir um muro fosse tão trabalhoso. Estão construindo um muro largo para que possa ser resistente. O muro terá cerca de um metro e meio de espessura. Então tivemos que fazer cimento a beça. Ainda terá uma parte para que os atiradores possam ficar.

Enquanto construíamos o muro, Derek e Tonny tentavam de todas as formas argumentar com Catarina para limparem a outra parte do Hospital. Mas aparentemente era tudo em vão.

No meio da tarde, Osvaldo teve a ideia de enchermos a caixa d’água do hospital manualmente, já que não teríamos água encanada. Assim, com a caixa cheia, poderíamos usar a água direto da pia. Eu, Pink, Jim, Victor e Gabriel (Que insistiu em ficar com o irmão) subimos ao telhado e começamos a abrir as garrafas Pet para despejar na caixa d’água. O trabalho não era difícil, mas o sol estava muito forte ali em cima.

Estava tudo indo bem, até que o lugar onde Jim estava cedeu e ele caiu. Para piorar as coisas, ele caiu numa ala onde ainda não estava limpa. No inicio não tinha zumbis por la. Victor disse para Gabriel correr atrás de uma corda o mais rápido possível e voltou para nos ajudar.

Jim, não se machucou muito na queda, mas torceu o tornozelo e abriu o ferimento no ombro. Alguns zumbis estavam se aproximando então Jim começou a atirar. Foi nesse momento que Pink pulou para ajudar o amigo.

_ O que ce ta fazendo, sua maluca?_ Berrava Jim quando viu Pink se jogando

_ Eu disse que não deixaria você morrer!

_ Tudo isso só pra eu não ver seus peitos?

Pink ignorou o comentário d e Jim e continuou atirando. Eu tentava dar suporte do telhado, mas depois percebi que seria melhor descer também. Victor pensou a mesma coisa e ambos pulamos do telhado. Não posso dizer que foi muito esperto. Cair daquela altura foi meio difícil e, por pouco eu não torcia meu pé também.

Nos dividimos em dois grupo. Jim e Pink atiravam para um lado do corredor e Eu e Victor para o outro. Atirávamos sem parar para espantar os zumbis, enquanto a corda chegava. Mas acho que eles estavam tendo problemas para encontrá-la.

Alguns minutos depois, Gabriel apareceu no buraco do telhado dizendo que eles estavam procurando. Ao ver que todos pulamos, Gabriel tomou a mesma iniciativa.

_ O que tá fazendo? Não pula aqui! _ Gritou Victor.

_ Eu quero ajudar!

Mas não dava para perder tempo chamando atenção de Gabriel. Quase no mesmo instante Osvaldo apareceu no telhado com uma corda. Victor pedia para Gabriel subir, mas ele insistia em ficar. Então Jim foi o primeiro. Tivemos que amarrá-lo pois seu ombro e pés doíam muito para subir.

Enquanto desciam a corda, começamos a ouvir batidas nas portas dos quartos pelo corredor.

_ Vão quebrar as portas e sair! _ Gritava Victor. _ Não temos muito tempo!

_ Blooder! _ Gritou Pink e no mesmo instante gelamos.

Olhamos para trás e vimos, parado no corredor entre os zumbis um blooder nos encarando. Mas dificilmente dava para mirar, pois ele estava bem no fim do corredor e haviam muitos zumbis. Nem sei ao certo se realmente era um blooder, mas parecia, pelo fato de ser o único parado.

Jim ainda estava sendo puxado quando a primeira porta no corredor se arrebentou.

_ Não podemos ficar aqui! Temos que encontrar um outro caminho! _ Gritou Victor.

Ambos concordamos. Victor pegou seu irmão pelo braço e começou a correr. Corremos sentido contrário ao blooder enquanto Jim gritava por Pink. Seguimos correndo pelo corredor, até que avistamos uma saída. Deveríamos estar na outra extremidade do hospital. Nosso objetivo era seguir para a saída, mas outro grupo de zumbis apareceu logo depois que eu e Victor passamos. Não sei explicar como exatamente tudo aconteceu, só sei que Pink ficou para trás.

_ Vão! _Gritou Pink se afastando para o outro lado _ Eu encontro outra saída!

Victor ia começar a correr na direção dela, mas uma mão o agarrou na mesma hora, puxando-o. Outra mão pesada fez o mesmo comigo. No susto tentei me soltar, até ouviu uma voz atrás de mim

_ Sou eu! Sou eu!

Quando olhei para trás me deparei com Tonny. Derek arrastava Victor para fora. Ambos saímos e, logo em seguida Tonny fechou a porta e apoiou uma caçamba de lixo próxima para barragem.

_ O que tá fazendo! Se fizer isso ela não vai conseguir sair! A gente tem que ir atrás dela! _ Eu berrava desesperado enquanto Victor tomava fôlego.

_ Escuta aqui! _ Disse Derek_ A Pink é uma das melhores que temos! Se eu pudesse escolher, jogava os dois la dentro e trocava por ela! Mas não podemos fazer nada! Temos que voltar e estabelecer um plano de resgate!

Voltamos para o outro lado do hospital e fomos recebidos por Jim preocupado

_ Cade a Pink? _ Perguntou eufórico enquanto Derek carregava Victor até o quarto.

_ Nós nos separamos. Mas acho que ela tá bem _ Respondi

_ Pink sabe se virar. _ Tonny disse

_ É mas ela tem pouca munição. Será que _ Parei no meio da frase quando percebi que estava, na verdade, tirando as esperanças de Jim ou qualquer outro que estivesse ali.

Derek passou o resto da tarde discutindo com Catarina que se ela tivesse autorizado a limpeza do resto do hospital a situação seria diferente. Ele não está completamente errado e todos no hospital estão aflitos com ela na liderança também. Estão preocupados que eles não corram perigo.

_ Se você tivesse nos deixado limpar o hospital nada disso teria sido um problema! _ Dizia Derek

_ Eu não podia imaginar que alguém cairia do telhado!

_ Precisamos formar uma equipe de busca agora! _ Dizia Tonny

_ Não! É arriscado ir lá! Ja está escuro! _ Argumentava Catarina

_ Usamos lanternas _ Dizia Jim.

_ Você está ferido! Não duraria nem cinco minutos la dentro! _ Respondeu Catarina_ E não vale a pena sacrificar mais pessoas por alguém que provavelmente está morta!

_ Não ouse dizer nem mais uma palavra! _ Disse Derek avançando na direção de catarina e tanto Osvaldo como Alan se colocaram diante dela.

_ Agora tá do lado dessa aí? _ Perguntou Derek para Alan.

_ Não acho que a violência vai resolver as coisas aqui _ Dizia Alan.

_ Ha! Belas palavras vinda de um presidiário fugitivo!

_ Gente! _ disse Beatriz que estava na porta na sala. _ Vocês não vão acreditar.

Saímos pela porta da sala de Catarina. Todos os pacientes daquele corredor haviam saído da sala. Até Lucia, que estava no corredor ouvindo a discussão, ao invés de ficar em seu quarto estava olhando para o fim do corredor com um olhar lacrimejante e seu sorriso sereno de sempre.

No fim do corredor, bem na porta, Pink estava parada segurando a cabeça de um blooder e se facão na outra mão. As roupas da garota estavam cobertas de sangue, assim como seu facão. Pink estava completamente molhada e seus cabelos ensopados por causa da chuva que caía. Jim correu em direção da amiga mancando, por causa da perna.

_ Caramba! Como… ?_ Depois passou para a preocupação _ Você foi mordida? Tá machucada?

_ Não. Eu to bem… segura meu troféu ai _ Disse Pink entregando a cabeça do blooder para Jim e seguindo pelo corredor _ Se não se importam… eu tive um dia difícil hoje. E preciso de um banho. Não to nem aí pra economia de água _Disse seguindo para o banheiro das enfermeiras mais próximo.

Nós apenas assistimos Pink seguir pelo corredor como se não se importasse. Mais tarde no quarto 104, ela explicou que só queria pagar uma moral pra todo mundo. Ela planejou isso desde o momento que matou o blooder e no momento que saiu do hospital.

Pedimos para Pink nos explicar como sobreviveu, mas ela estava muito cansada e disse que nos contaria no dia seguinte. Eu concordei com ela, afinal eu também estou bem cansado.

Depois do que aconteceu hoje, acho que Catarina vai relevar sobre limparmos o resto do hospital. A moral dela parecia baixo no fim da noite também. Ela se isolou dos demais e alguns pacientes começaram a falar sobre ela ser ou não uma boa líder. Beatriz passou a noite ao lado de Victor, que, não sei se foi por quase morrer ou não, passou a retribuir a companhia da enfermeira.

Fim do dia 46

103

104

105

Resto do hospital

Derek (28)

Lucia (17)

Dario (23)

Catarina (29)

Tonny (26)

Victor (21)

Mateus (20)

Osvaldo (51)

Antonio (61)

Gabriel (24)

Camila (21)

Beatriz (21)

Pr. Felipe (40)

Pink (19)

Fabricia (32)

Luiz (24)

Raquel (24)

Jim (23)

Miguel (7)

Alan (35)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: