74º Dia: Um está vivo e o outro não.

2

26 de janeiro de 2015 por bossolon

Campinas. Dia 26/01/2015

Caro diário. Faz um bom tempo que não escrevo. Depois do ano novo simplesmente parei de escrever. Os dias também foram um tanto quanto corridos.  Passamos as ultimas semanas limpando a outra ala do hospital. Por vezes saíamos em busca de suprimentos para a comunidade.

Mas limpar a outra ala foi mais por questão de segurança do que de espaço, pois agora ocupamos ainda menos espaço no hospital que antes. Isso porque vários doentes têm morrido. Perdemos Luiz também, o viciado. Derek fez de tudo para impedi-lo de receber medicamentos. Desesperado para conseguir os medicamentos ele entrou, durante a noite na ala ainda infestada. Isso gerou diversos problemas. Tivemos que combater os zumbis que entraram durante a noite e trancar a ala. Alguns pacientes morreram no processo, mordidos por zumbis. Felipe foi mordido na perna e tiveram que amputá-la. Por sorte Catarina cuidou muito bem dele e estancou o sangramento. Ele não corre risco, mas tivemos que buscar por uma prótese e muletas. Mesmo assim, ele passa bastante tempo na cadeira de rodas.

O muro já está construído e parece bem firme. Osvaldo e Matheus colocaram um portão bem grande, mas fechado para impedir que alguém de fora bisbilhoteie para dentro do hospital. Pink, Jim e Antonio que são nossos melhores atiradores revezam os turnos da noite e do dia para manter guarda. Derek diz que isso é para evitar inimigos “vivos”.

Foi isso que nos ajudou semana passada quando um grupo de pessoas armadas queriam entrar. Não posso dizer que foi agradável se livrar deles rapidamente, mas  pelo menos estamos seguros. Alguns pacientes estão um pouco assustados e os tiros atraíram alguns zumbis. Tivemos que ficar uns três dias sem chamar atenção para que eles fossem em bora.

Pegar recursos agora está bem mais difícil, isso porque boa parte das coisas nos super-mercados estão estragadas por não ficarem no freezer ou na geladeira. Ou até ficam, mas sem energia as geladeiras mais parecem armários. A manteiga, por exemplo parece mais um caldo e nem da mais vontade de passar no pão. Antonio levantou a hipótese de caçarmos. Ontem ele até disparou suas flechas contra um gambá que apareceu, mas eu não quis me aventurar a comer. Acho que não estou tão desesperado assim.

Nem preciso dizer que logo terei que deixar essa frescura de lado, pois ultimamente estou vivendo como um vegetariano. Não da pra estocar comida e o que temos comido, geralmente são coisas em conservas, salgadinhos e legumes. Dou graças a Deus quando Raquel prepara algumas batatas-fritas.

Ao todo não passamos de 40 pessoas no hospital, contando conosco, com a equipe do hospital e os poucos pacientes que sobreviveram. Mas alguns deles, quase nem tem esperança de continuarem vivos por muito mais tempo.

_ Vocês têm que se dedicar a quem realmente tem chances de viver! _ Disse Selmo, um velho por volta dos 60 anos que tem problemas cardíacos. _ Eu, inclusive, já vivi o que tinha que viver.

Selmo é meio ranzinza e mau-humorado, mas é do tipo que pensa bastante nos outros. Vive reclamando quando lhe dão atenção dizendo que não precisa de cuidados. Diferente dele, a senhora Vanise é bem mais gentil e doce. Várias vezes nos para apenas para agradecer por tudo que temos feito. Algumas vezes chega até a irritar. Por incrível que pareça, parece ser a única pessoa por ali que Derek gosta.

Miguel continua empolgado pedindo para que o ensinemos a “caçar zumbis”. Pelo jeito o garoto tem um sonho de carreira. E Fabrícia, como sempre, vive preocupada com isso. Semana passada ela me puxou de canto para dizer que tenho que ensinar Miguel a ter mais responsabilidade.

_ Por estar distante do pai por muito tempo _ Dizia _ Você é quase uma figura paterna para ele!

_ É… é uma pena que só sou uma figura paterna para ele, não é?

Ultimamente tenho sido um pouco “grosso” com ela… Isso é porque nos distanciamos um pouco nos últimos dias. E bem… até um tempo atrás eu gostava dela. E agora ela está bem fria e parece que não tem rolado nada entre nós. Tenho medo de estar na zona da amizade. Na verdade chegamos a nos beijar no ano novo. Tentamos (ou eu tentei) manter um relacionamento e deu certo por uma semana. Depois disso ela simplesmente não abriu brechas. Sem justificativa. E isso me deixou revoltado.

PS: Eu sei que você, Lucia vai pedir pra ler meu diário, então não conte nada disso a ninguém! É nosso segredo!

PS2: Aceito conselhos femininos

Se eu e Fabricia estamos distantes, o mesmo não acontece com Beatriz e Victor. Ao que parece a enfermeira finalmente conseguiu fisgar o homem. Mesmo ele sendo bem reservado e falando pouco, por vezes (em ocasiões raras) é possível ver os dois próximos ou trocando caricias. Gabriel parece estar bem feliz pelo irmão. Nos primeiros dias ele saiu falando para todos que Victor e Beatriz estavam namorando.

Alan finalmente tirou o gesso do braço e está ajudando mais do que nunca. Mas geralmente ajuda nas tarefas do hospital. Ele parece ser bem mais um cara caseiro do que um aventureiro como os demais do grupo.

Agora com o hospital limpo dos zumbis, Derek quer partir para limpar a faculdade. Ele quer ter menos risco o possível. Catarina está muito receosa quanto ao caso, mas como a popularidade dela como líder não favorece nenhum pouco, parece que Derek é quem está mandando agora.

Eu pessoalmente não gosto disso. Não gosto da ideia de Derek estar no comando. Por que ele sempre tem que ser tão mandão? Mas da metade das coisas que temos aqui nem foi por causa dele. Camila, de certa forma parece não odiá-lo tanto quanto eu. Ela até apóia a limpeza da faculdade. Na verdade, ultimamente Camila está bem mais voltada para a ação.

_ Você mudou bastante _ Comentei hoje a tarde quando estávamos no telhado cobrindo o turno de vigia (por vezes nós o cobríamos)

_ Como assim? _ Ela me olhou com seus olhos verdes e seu rosto cheio de sardas com uma expressão confusa.

_ Bom… antes você era bem mais… frágil. E agora você está mais valentona.

Camila franziu a testa e esboçou um sorriso

_ Valentona?

_ É.. você sabe… antes você não sairia por aí matando zumbis e apoiando um cara como Derek

_ AAAAh _ Camila riu como se tivesse entendido alguma coisa que eu não percebi _ então isso tudo é por causa do Derek?

_ Que? Não! _ Me defendi imediatamente _ Só estou dizendo que você mudou bastante

_ E está dizendo que eu não deveria apoiar o Derek!

_ Não é bem..

_Tudo bem, Dario! É normal sentir ciúmes dele! Afinal ele é forte, loiro e bonito. E aqueles músculos….

_ Ta certo. Para! Já chega… Eu não quero mais ouvir sobre isso.

_ Hahaha! Você não acha que eu to a fim dele, não é? _ Camila disse entre sorrisos

_ Que? Não! Ele não faz seu tipo

_ Ora… agora fiquei curiosa. Qual é meu tipo, Dario Ribeiro?

_ Sei la… mas ele é bem diferente do André, não é?

Camila ficou mudou sua expressão ficando ainda bem seria e desviou o olhar. Num instante a risada e a alegria sumiu de si. E eu percebi que tinha tocado num assunto que não deveria. Achei que depois de tudo que aconteceu e do tempo que passou ela já tinha superado a morte de André.

_ Desculpa… eu não queria…

_ Não.. ta tudo bem _ Falou Camila com um tom triste _ Eles realmente são bem diferentes…. Um está vivo e o outro não.

Camila se levantou e desceu do telhado me deixando ali sozinho. E eu fiquei ali me sentindo culpado. Como se eu tivesse 10 anos e acabasse de quebrar o vaso favorita da mamãe. Aquilo meio que acabou com meu dia hoje. Se já estou mau com uma mulher agora acabei de estragar minha amizade com outra. Se continuar assim, a única mulher que conversará comigo será a dona Vanise.

103 104 105 Resto do hospital
Derek (28) Lucia (17) Dario (23) Catarina (29)
Tonny (26) Victor (21) Mateus (20) Osvaldo (51)
Antonio (61) Gabriel (24) Camila (21) Beatriz (21)
Pr. Felipe (40) Pink (19) Fabricia (32) Vanise (65)
Raquel (24) Jim (23) Miguel (7) Selmo (67)
Alan (35)

Fala galera! As postagens e a história do Diário de Dário voltaram oficialmente! Uma semana de atraso, mas ta valendo. Na verdade eu nem sabia que ainda tinnham pessoas que liam, pq a quantidade de visitas quase zerou quando parei e mtos amigos falaram que ainda estavam no cap. 10. Alem da interação com o blog ter diminuido tb…
Então estava reescrevendo os primeiros 12 capitulos com mais detalhes para lançar uma versão e-book, levando em consideração alumas criticas e corrigindo a ortografia e gramática.
Mas devido ao comentário do leitor Gabriel nos dias 48 e 49, achei q ja estava na hora de voltar.
Eu ia continuar a historia a partir de onde parou (dia 02 de Janeiro – Dia 50). Mas perderia o intuito do blog ser um diário acompanhando a data atual. Então resolvi apenas “pular” esses dias. Conforme eu for lançando a versão em e-book talvez eu narre nessas versões o que aconteceu nesses dias. No blog vocês não encontrarão postagens do dia 50 ao dia 73….
Então é isso, galera! Se possivel, deixem comentários com criticas ou sugestões, pois levarei em consideração quando estiver escrevendo o e-book oficial!
Obrigado e até amanhã!

Anúncios

2 pensamentos sobre “74º Dia: Um está vivo e o outro não.

  1. Gabriel disse:

    E ai parabéns, vc escreve mto bm tm um dom pra isso e nao deixou a história perder o ritimo mesmo com a sua parada continua assim! Ah e valeu por me mencionar ai em cima, abraços.

    Curtido por 1 pessoa

    • bossolon disse:

      ahsuhau Cara! Foi você que me fez voltar! Se não fosse pelo seu comentário dias atrás eu teria abandonado o projeto e só iria trabalhar no e-book (que nem sei quando poderia lançar). Obrigado pelo apoio! Vou procurar melhorar cada vez mais!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: